Fim da Greve dos Correios: sindicatos acatam decisão judicial e encerram paralisação

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que a Greve dos Correios deve chegar ao fim a partir desta terça-feira (22). Em assembleias realizadas após a decisão judicial, sindicatos representantes dos trabalhadores concordaram em dar fim à paralisação.

Atualizado em 24/09, às 12:00

Alguns dias após o fim da paralisação parcial dos funcionários dos Correios, o público começa a sentir os efeitos da normalização gradual dos serviços.

Em comunicado oficial divulgado na quarta-feira (23), a empresa suspende a medida de encaminhamento de objetos PAC para agências próximas ao endereço de destinatário. Com isso, as encomendas enviadas como PAC voltam a ser entregues no endereço informado na postagem, acabando com a necessidade de retirada em agência.

Vale lembrar que a medida anterior havia sido  anunciada no fim de agosto, em função da greve, e indicava que a entrega em domicílio do PAC estava temporariamente suspensa em algumas localidades, fazendo com que o destinatário tivesse que comparecer na agência indicada.

Contudo, apesar da normalização deste serviço, é importante ficar de olho no rastreamento envios realizados nas últimas semanas! Segundo o comunicado dos Correios, objetos que estão com status “Aguardando Retirada” permanecerão disponíveis nas unidades para retirada dos clientes.

Caso o destinatário não vá até a agência, o objeto retorna ao fluxo postal para entrega ao destinatário final, com cada etapa devidamente informada no sistema de rastreamento.

Normalização gradual dos serviços

A greve dos funcionários dos Correios teve fim na última segunda-feira (21), após 35 dias de paralisação parcial. Porém, a normalização dos serviços da empresa será gradual, inclusive em relação aos prazos de entrega.

Ainda em seu comunicado, os Correios afirmam que o Plano de Continuidade do Negócio terá capacidade ampliada ao longo dos próximos dias e que mutirões de entrega serão realizados com apoio de funcionários de diversos setores da empresa.

Porém, apesar dos esforços da empresa, é importante que os lojistas ainda tenham alguns cuidados com os envios de encomendas aos clientes. 

Continue a leitura para acompanhar as dicas do Melhor Envio e passar por este período sem ter problemas!

Atualizado em 22/9, às 18h20

Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (22), a diretoria da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) e representantes de sindicatos filiados seguiram a indicação de demais entidades e orientam que os funcionários dos Correios retomem as atividades a partir das 22h.

A decisão confirma o fim da greve dos Correios, acatando o julgamento realizado pelo Tribunal Superior do Trabalho na tarde do dia 21. No total, foram 35 dias de paralisação.

Com isso, uma normalização gradual em relação a prazos de entrega e outros serviços dos Correios vai ocorrer a partir dos próximos dias.

Ou seja, mesmo com a confirmação do fim da greve, os lojistas ainda devem ter alguns cuidados com o envio de encomendas. Continue a leitura e veja nossas dicas para não ter problemas!

Atualizado em 22/9, às 12h05

O TST julgou a aplicação de um reajuste de 2,6% para os funcionários dos Correios, a partir de 1º de agosto, e manteve 20 cláusulas do acordo coletivo. Além disso, fixou uma multa diária de R$ 100 mil caso os profissionais não retomem as atividades imediatamente.

Em diversos estados, sindicatos ligados à categoria estão debatendo os rumos da greve após o anúncio do TST. Porém, mesmo após algumas entidades sindicais aprovarem o retorno aos postos de trabalho em alguns estados, a orientação da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) é de que o calendário de assembleias desta terça-feira seja mantido.

Portanto, o sindicato nacional ainda não anunciou seu posicionamento oficial e indicou que os trabalhadores analisem o resultado do julgamento durante todo o dia.

Segundo informou a Fentect, novas assembleias devem ocorrer nesta terça-feira, enquanto o sindicato nacional se reúne com a diretoria para avaliar o cenário e apresentar a decisão diante do julgamento mais recente do TST.

Como os lojistas podem proceder neste momento?

Mesmo com a decisão do TST determinando o fim da Greve dos Correios, e os sindicatos aderindo à decisão na sequência, é importante que os lojistas continuem atentos: afinal, será necessário algum tempo para que as entregas voltem à normalidade.

Para te ajudar nessa hora separamos aqui os principais cuidados que você precisa manter para garantir a melhor experiência possível nos seus fretes:

👉 Retirada de objetos PAC nas agências

Em 29/08, os Correios sinalizaram que objetos PAC poderiam ser destinados para retirada em agência em algumas localidades. Essa informação continua valendo até o momento, ok? 

Para saber se a sua postagem foi afetada pela medida, é muito importante que você e o seu cliente acompanhem com atenção o rastreamento dos Correios. 

Por isso, fique de olho e avise caso seu cliente precise ir até a agência para retirar a encomenda, certo? 😁

👉 Normalização é gradual

Para lidar com efeitos da pandemia e da paralisação de funcionários, os Correios estenderam os prazos para algumas regiões do Brasil. Confira a lista de localidades afetadas: 👇

Regiões de destinoDias úteis de acréscimo 
Alagoas, Brasília, Pernambuco, Rondônia e São Paulo Acréscimo de 1 dia útil ao prazo de entrega informado
Acre, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina Acréscimo de 2 dias úteis ao prazo de entrega informado
Amazonas, Amapá, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Roraima e Sergipe Acréscimo de 3 dias úteis ao prazo de entrega informado

Na prática, é importante ter em mente que a normalização dos prazos e do funcionamento das agências não é imediata, mas sim gradual. 

Segundo comunicado publicado pela estatal: “os Correios seguem executando o plano de continuidade do negócio, com a realização de mutirões de entrega, inclusive em fins de semana e feriados, com o objetivo de reduzir os efeitos da paralisação parcial dos empregados.”

A gente sempre recomenda transparência e sinceridade em momentos assim. É melhor comunicar seus clientes que a situação vai voltar ao normal aos poucos para evitar frustrações, né? 

Conte com a gente!

Nossa equipe está monitorando a situação e pronta para atualizar você com todas as novidades sobre os desdobramentos da greve dos Correios. Continue acompanhando o blog Melhor Envio e as nossas redes sociais. Em breve divulgaremos mais informações.

Atualizado em 11/9, às 18h30

Após assembleia, funcionários dos Correios confirmaram a greve por tempo indeterminado. Mas isso não deve ser um problema para o seu e-commerce! Saiba como não parar as suas entregas. Audiência realizada no dia 11 de setembro não resultou em acordo.

A audiência realizada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) na tarde desta sexta-feira (11) não resultou em um acordo entre Correios e funcionários sobre o fim da paralisação, decretada no dia 17 de agosto. 

A tentativa de conciliação foi promovida pelo TST com participação de representantes dos trabalhadores, da estatal e do Ministério Público do Trabalho. O próximo passo é levar a paralisação a julgamento, marcado para o próximo dia 21. 

Até lá, o mais provável é que os trabalhadores mantenham a paralisação, que já chega a 25 dias.

Desde o início da greve dos funcionários dos Correios, o Melhor Envio está acompanhando as medidas adotadas pela empresa em seu plano de contingência. 

Além disso, também buscamos oferecer soluções para que a situação não atrapalhe o andamento do seu e-commerce. Veja algumas delas:

👉 Inclua alguns dias no prazo de entrega informado aos clientes, de acordo com as informações oferecidas pelos Correios 

👉 Entre em contato com as agências utilizadas com frequência nas postagens, para confirmar seu funcionamento

👉Verifique possíveis restrições de entrega nos endereços dos destinatários

👉 Siga com uma comunicação clara e transparente, principalmente em casos de prazos maiores ou da necessidade de retirar a encomenda em uma agência dos Correios. 

👉 Ofereça soluções! Por exemplo, informe que a encomenda pode ser retirada nas agências por terceiros e disponibilize o modelo de autorização dos Correios.

👉 Fique de olho no rastreio das encomendas enviadas e mantenha seus clientes atualizados

Continue a leitura para acompanhar todas as informações sobre a greve dos Correios, avisos sobre extensão de prazos, medidas do plano de contingência e as dicas do Melhor Envio para não prejudicar as suas vendas. 👇

Atualizado em 31/8, às 12h20

No último sábado (29), os Correios divulgaram novo aviso sobre medidas excepcionais motivadas pela paralisação dos funcionários. Segundo o boletim, em algumas localidades os objetos PAC serão destinados para entrega interna em unidades dos Correios.

Com isso, o destinatário vai precisar retirar a encomenda na agência indicada em um prazo de 15 dias corridos desde a chegada do objeto. 

Conforme os Correios, serão selecionadas unidades que possam atender aos clientes de forma segura, considerando os cuidados de prevenção contra o coronavírus. Por isso, nem sempre a agência será a unidade mais próxima ao endereço informado.

O acompanhamento da encomenda pode ser realizado por remetente e destinatário no site dos Correios ou outros aplicativos de rastreamento. Quando o objeto estiver disponível, o status vai exibir o aviso “Objeto aguardando retirada no endereço indicado” e a data de chegada. 

O destinatário também pode ser atualizado por mensagem SMS, desde que o número de celular seja informado no ato da postagem ou por meio de integração.

Lojas online devem comunicar essa possibilidade aos clientes

É claro que essa situação não é a ideal para clientes ou lojistas. Mas algumas dicas podem ajudar a passar por possíveis dificuldades do período com mais eficiência.

  • Siga com a comunicação clara 

Informe ao cliente sobre a possibilidade de retirada do objeto em agência, e explique que essa foi uma medida dos Correios para manter o serviço em funcionamento. Esse aviso pode estar em um banner na loja online ou em algum outro momento do processo de compra.

Pode parecer arriscado, mas  deixe que o cliente decida a melhor forma de prosseguir, ou não, com a compra. Neste momento, manter a confiança no seu negócio é essencial. Afinal, com uma visão positiva sobre a loja, essa pessoa pode voltar e comprar o produto em um período que considerar mais favorável.

  • Verifique possíveis restrições de entrega 

É possível descobrir sobre as restrições de entrega, de acordo com CEPs de origem e destino, neste link. Assim fica mais fácil para o lojista informar ao cliente se vai ser preciso retirar a encomenda em uma agência dos Correios, antes mesmo de realizar a postagem.

É interessante que essas consultas sejam realizadas frequentemente, já que as informações são sempre atualizadas. Ou seja, determinado CEP pode estar com alguma restrição hoje, mas entrega normalizada na próxima semana.

  • Ofereça informações completas

Vá mais longe do que informar o problema e ofereça também algumas soluções

Por exemplo, avise que outras pessoas podem retirar a encomenda na agência indicada, desde que levando uma autorização assinada pelo destinatário. Vale até mandar para o cliente um modelinho dessa autorização dos Correios, que você encontra aqui.

Outra possibilidade é sugerir que o cliente ligue para a agência de Correios mais próxima do endereço de entrega, para confirmar as condições de entrega ou retirada daquela região. 

  • Acompanhe as encomendas

Mais do que nunca, é importante ficar de olho nos status dos envios realizados. Como dissemos, o destinatário vai ter um prazo de 15 dias úteis para retirar a encomenda, seja pessoalmente ou por representante autorizado. 

Logo, o cliente deve saber que o objeto está disponível o mais rápido possível, para poder se organizar melhor.

O ideal é que o próprio lojista faça esse acompanhamento, e entre em contato com o cliente assim que ele puder fazer a retirada no local indicado. Sim, é um trabalhinho extra, mas mostra que você se preocupa em prestar o serviço mais completo em qualquer situação.

  • Considere outras alternativas de entrega

Por enquanto, a entrega do SEDEX ainda não sofreu nenhuma alteração. Ou seja, nessa modalidade as encomendas seguem chegando no endereço do destinatário. 

Ofereça essa opção ao seu cliente! Afinal, ele pode optar por pagar um pouco mais pela conveniência de receber o produto na porta de casa (e em menos tempo!).

E não esqueça que muitas transportadoras privadas oferecem serviços similares aos Correios, com entrega econômica e expressa, e seguem funcionando normalmente. Use nossa Calculadora de Fretes para descobrir quais empresas podem realizar os envios da sua loja online e garanta a entrega eficiente ao seu público.

Atualizado em 26/8, às 16h00

Ainda sem chegar a um acordo com as entidades representativas dos funcionários em paralisação, os Correios anunciaram novos ajustes de prazos de entrega no Sistema Calculador de Preços e Prazos – SCPP:

  • Alagoas, Brasília, Pernambuco, Rondônia e São Paulo – Acréscimo de 1 dia útil ao prazo de entrega informado
  • Acre, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina – Acréscimo de 2 dias úteis ao prazo de entrega informado
  • Amazonas, Amapá, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Roraima e Sergipe – Acréscimo de 3 dias úteis ao prazo de entrega informado

Com vigência a partir do dia 27/8, os dias extras devem ser aplicados aos prazos atuais, considerando adequações anteriores.

Lembrando que, para manter a comunicação clara entre lojista e clientes, o indicado é que essa estimativa seja incluída em lojas online e informações sobre entrega dos produtos.

Até agora, os Correios não informaram sobre mudanças no atendimento em agências para postagem de PAC ou SEDEX, que seguem funcionando normalmente

Entretanto, algumas unidades podem sofrer alterações, então o mais indicado para evitar contratempos é entrar em contato direto com as agências que costumam ser utilizadas.

Atualizado em 24/8, às 12:00

Na última sexta-feira (21), o Supremo Tribunal Federal votou pela suspensão, de forma definitiva, do acordo coletivo dos trabalhadores do Correios, que teria vigência até 2021. Dessa forma, funcionários e Correios deverão negociar um novo acordo junto ao Tribunal Superior do Trabalho.

Após o resultado na Justiça, os funcionários dos Correios optaram por manter a greve, iniciada em 17 de agosto, por tempo indeterminado. Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect), os próximos passos serão decididos ao longo desta semana.

Plano de Contingência dos Correios e acréscimo nos prazos

Em comunicados oficiais, os Correios reforçam a estratégia de minimizar os impactos da paralisação parcial com o Plano de Continuidade de Negócios, colocado em prática desde o início da greve.

No último fim de semana, dias 22 e 23, a estatal realizou um mutirão de entrega em todo o país, com objetivo de alcançar um volume 4 vezes maior do que normalmente é realizado aos sábados e domingos.

Apesar dos esforços, a empresa anunciou um acréscimo nos prazos de entrega de encomendas em alguns estados brasileiros. Segundo os Correios, a informação busca manter a transparência para os usuários do serviço.

  • BA, CE, ES, PA, PR, RN, RO, RS e SC – Acréscimo de 1 dia útil ao prazo de entrega informado
  • AL, DF, MA, PB e SP – Acréscimo de 2 dias úteis ao prazo de entrega informado

Para melhor comunicação entre lojistas e clientes, o indicado é que este prazo extra seja adicionado em plataformas de gerenciamento de e-commerces ou em banners de aviso na loja online.

Ainda segundo os Correios, as agências seguem abertas para o envio de PAC e Sedex. Contudo, algumas unidades podem sofrer alterações. Por isso, o mais indicado é que os lojistas entrem em contato direto com as agências utilizadas normalmente.

Até quando vai a Greve dos Correios

Segundo a Fentect, a greve seria interrompida imediatamente caso a decisão fosse favorável à retomada das condições apresentadas no Acordo Coletivo firmado em 2019. 

Contudo, após a votação do STF, que decidiu pela suspensão dos termos do acordo, a paralisação segue por tempo indeterminado.

Atualizado em 20/8, às 18:30

Segundo boletim publicado pelos Correios na tarde desta quinta-feira (20), a estatal informa a suspensão temporária dos seguintes serviços, em razão da paralisação parcial dos funcionários:

  • Disque Coleta/Coleta Domiciliária não programada (agendada)
  • Logística Reversa Domiciliária

Contudo, a empresa reforça que a coleta programada não sofrerá alteração, assim como a Logística Reversa, que segue operando normalmente nas agências. O serviço de telegrama também segue em funcionamento, com acréscimo de 1 dia ao prazo previsto de entrega.

Lembrando que, desde março de 2020, Sedex 10, Sedex 12 e Sedex Hoje já estavam suspensos em função da pandemia.

A equipe do Melhor Envio acompanha de perto a situação, para garantir que nossos lojistas não sejam afetados pela paralisação. E lembre-se de usar a nossa Calculadora de Fretes para fazer a cotação de prazos e preços e conferir alternativas de frete com diversas transportadoras, que seguem funcionando normalmente.

Atualizado em 20/8, às 11h00 

Um primeiro levantamento parcial realizado pelos Correios após a paralisação de funcionários ser decretada mostrou que os serviços de atendimento da estatal não foram afetados. Segundo a empresa, cerca de 83% do efetivo total de trabalhadores segue atuando normalmente em todo o Brasil.

Já as federações de funcionários calcularam que a adesão à paralisação foi de quase 70% dos trabalhadores. Vale lembrar que, por ser considerado um serviço essencial, um contingente mínimo de 30% dos empregados deve permanecer em operação, incluindo o atendimento em agências.

Os Correios reforçam que o Plano de Continuidade de Negócios já foi colocado em prática, para que os efeitos da redução de funcionários em atividade não sejam percebidos pela população. Algumas dessas medidas incluem o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e realização de mutirões. 

Além disso, os Correios informam que sua rede de atendimento está aberta em todo o Brasil, inclusive para postagens dos serviços PAC e Sedex em agências, assim como as entregas em todo território nacional. 

Em comunicado ao Melhor Envio, representantes da estatal afirmam que é pouco provável que o atendimento em agências seja afetado pela paralisação parcial. 

A estatal disponibiliza o telefone 0800 725 0100 ou este link para tirar possíveis dúvidas sobre a situação.

E-commerce e a greve dos Correios

Como sabemos que a paralisação ainda pode causar receios e preocupações em quem trabalha com e-commerce, separamos mais algumas dicas importantes que podem ajudar os lojistas brasileiros neste período, dá uma olhada:

  • Aumente o prazo de entrega informado aos clientes

Já falamos disso, mas não custa reforçar! Por maior que seja a vontade de oferecer agilidade ao seu cliente, isso não depende só de você. Durante esse período, é indicado que você informe um prazo de entrega mais longo do que o usual. É melhor causar uma boa surpresa, com a sua encomenda chegando antes do prazo informado, que frustrações por atraso. 

  • Como saber qual o prazo de entrega durante a paralisação dos Correios

Ok, mas será que é possível ter uma estimativa sobre o atual prazo de entrega? Sim! Você pode entrar em contato com a agência dos Correios com a qual você costuma trabalhar. Eles podem passar uma ideia aproximada sobre possíveis atrasos. Mas lembre-se, é uma estimativa. 

Outra opção é fazer uma consulta no próprio site dos Correios, com a calculadora disponibilizada pela empresa. Estados e municípios podem ser afetados de formas diferentes pela paralisação, e a calculadora do site oficial é preparada para trabalhar com informações atualizadas.

Uma dica extra: use a calculadora dos Correios para ter essa ideia de prazo de entrega, mas aproveite as condições especiais oferecidas pelo Melhor Envio para contratar o frete gastando menos com o envio das suas mercadorias.

  • De olho nos pedidos que já foram enviados

Voltando ao ponto da comunicação com o seu público, faça um levantamento de pedidos enviados poucos dias antes do início da paralisação. Essas entregas também estão suscetíveis a sofrer atrasos. Entre em contato com esses clientes para que eles fiquem sabendo dessa possibilidade, antes mesmo do prazo informado inicialmente chegar ao fim.

  • Mantenha uma comunicação aberta com seus clientes em diversos canais

Assim como os lojistas, os consumidores também enfrentam dúvidas sobre o funcionamento das compras pela internet nesse período, principalmente em relação ao prazo de entrega. 

Vale chamar atenção para a possibilidade de prazos mais longos em um banner na página inicial do seu site, por exemplo, deixando claro que a situação é atípica e ocasionada pela paralisação.

Além disso, dê atenção especial aos canais de comunicação da empresa, seja em redes sociais, WhatsApp, Fale Conosco ou outros meios utilizados. Agilidade ao responder as dúvidas e preocupações dos seus clientes vai mostrar que você está acompanhando a situação e que se preocupa tanto, ou mais, do que eles!

[18/08] Greve dos Correios: como não deixar que seu e-commerce seja prejudicado

Durante assembleia realizada nesta segunda-feira (17), a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) decretou greve dos funcionários dos Correios. De acordo com a federação, a paralisação, que começou na noite do dia 17, será nacional e de duração indeterminada.

Em comunicado ao Melhor Envio, os Correios afirmam ter um Plano de Contingência pronto para ser colocado em prática, com objetivo de garantir a continuidade das postagens e entregas de todo o país.

Como o serviço faz parte da categoria de essenciais, conforme consta no decreto de calamidade pública, os sindicatos também avisam que será mantido um mínimo de trabalhadores em atividade.

Entre as reivindicações dos grevistas estão a negociação sobre direitos dos trabalhadores da estatal e condições de trabalho durante a pandemia.

Segundo a estatal, os serviços seguem sendo prestados normalmente. Um Plano de Continuidade de Negócios foi colocado em prática logo após a confirmação da paralisação, buscando minimizar os impactos aos clientes, operações nas áreas de atendimento e distribuição. 

Ainda de acordo com os Correios, serão divulgados boletins periódicos sobre a movimentação e as medidas adotadas durante o período da paralisação.

Como não parar as entregas durante a greve dos Correios?

Como essa não é uma situação incomum, é sempre bom que o seu e-commerce esteja preparado para enfrentar uma greve dos Correios. A estatal é a empresa mais utilizada no envio de encomendas do Brasil, e por isso é a primeira opção de muitos lojistas. Logo, é de esperar que uma greve pareça assustadora. Mas não precisa ser assim!

A primeira coisa que você precisa saber é que não deve interromper as vendas da sua loja online em casos de paralisação. E muito menos cancelar os pedidos já realizados! Siga com as suas operações normalmente. Separamos algumas recomendações importantes para te ajudar a se preparar.

  • Acompanhe as informações sobre possíveis greves dos Correios

Quando rumores sobre paralisações chegarem até você, fique atento às informações. Dessa forma você pode até antecipar o envio de pedidos que já estão em andamento. Isso vale, principalmente, para quando as notícias apontarem para uma confirmação da greve, mesmo antes dela ser anunciada oficialmente.

  • Ajuste seus prazos de entrega 

Caso a greve seja confirmada, considere ajustar os prazos informados aos clientes. Durante esses períodos, é normal que as encomendas demorem um pouco mais para chegar, e é justo que eles sejam informados.

  • Comunicação clara e sincera 

 Deixe claro que a loja segue funcionando, mas que os prazos de entrega, além de mais longos, podem sofrer atrasos. Deixe que o cliente decida se vai seguir com o pedido ou deixar a compra para quando a situação for normalizada. 

  • Trabalhe com alternativas

Mesmo que os serviços dos Correios sejam os mais utilizados por você, tenha sempre uma segunda opção engatilhada. Lojas online de atuação local podem usar serviços particulares de entrega expressa, ou mesmo contratar um entregador de forma temporária. Mas se você costuma vender para locais distantes, como outras cidades ou estados, vale lembrar que diversas transportadoras privadas realizam serviços similares aos Correios, com direito a escolha entre entrega expressa (com menor prazo) ou econômica.

Com o Melhor Envio, o seu e-commerce não precisa parar

Ter acesso a diferentes serviços de entrega é um dos principais pilares para uma boa estratégia de frete. Afinal, é sempre importante ter uma carta na manga para seguir com o funcionamento normal e eficiente da sua loja online. 

É por isso que o Melhor Envio trabalha com diferentes transportadoras de cobertura nacional. Mesmo em caso de greve dos Correios, você ainda pode contar com nossas demais empresas parceiras, que seguem funcionando normalmente.

Em um momento tão importante para o e-commerce no Brasil, a gente não quer que a sua loja online fique parada! 

Conheça o Melhor Envio e tenha uma solução completa de fretes para suas vendas online. Com a plataforma gratuita, você tem acesso a mais de 40 integrações com plataformas de e-commerce, marketplaces e ERPs para facilitar sua operação e conta com descontos de até 75% no valor dos fretes.

Hoje com 5 transportadoras integradas, você pode escolher qual transportadora e serviço atende melhor suas necessidades de forma simples e rápida através da Calculadora.

Nova call to action

Posts relacionados

Deixe um comentário