Marketing e Logística: uma dupla poderosa para seu e-commerce

O que marketing e logística têm em comum? Leia e descubra!

O e-commerce brasileiro vive um momento de consolidação e demonstra resultados financeiros cada vez mais expressivos. Só em 2018 foram mais de R$ 133 bilhões faturados, de acordo com dados da Ebit / Nielsen, um crescimento de 18% em relação ao ano anterior. 

Com resultados desse tipo, é natural que um crescente número de empreendedores comece a apostar no setor. Não é à toa que já temos mais de 930 mil sites dedicados ao e-commerce no Brasil. Para criar um negócio duradouro e escalável em meio à tanta concorrência, é essencial prestar atenção a aspectos fundamentais como o marketing e a logística. E o que esses dois conceitos (aparentemente distintos) têm em comum? Leia e descubra!

Aqui você vai encontrar informações sobre:

  • O que é Marketing?
  • O que é Logística?
  • Por que integrar Marketing e Logística?
  • Como integrar Marketing e Logística?
  • Oportunidades para ficar de olho
  • O exemplo da Netshoes
marketing e logística

O que é Marketing?

Apesar do que muita gente pensa, o marketing não se resume “apenas” a incentivar vendas. Para ampliar um pouco o entendimento usual do termo, vamos recorrer a uma definição criada pela American Marketing Association (Associação Americana de Marketing). Para a organização, marketing “é a atividade, o conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tenham valor para consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral”. Dá pra perceber que o marketing envolve uma série de processos, né?

O que é Logística?

Em resumo, a logística é um processo estratégico de aquisição, movimentação e armazenagem de materiais/peças/estoques. Esse conceito visa atender os clientes com a melhor relação de custo-benefício para a empresa. Em um trecho do livro “Logística e Gerenciamento de Cadeia de Suprimentos”, o professor Martin Christopher, especialista na área, diz que é possível entender a logística como uma “orientação e uma estrutura de planejamento que visam criar um único plano para o fluxo de produtos e informações”. Mas e o que isso tem a ver com marketing? É disso que vamos falar daqui para frente!

Por que integrar Marketing e Logística?

Pensar Marketing e Logística de maneira separada é a receita certa para ter problemas. Vamos exemplificar para fazer mais sentido. Imagine um e-commerce fictício chamado XYZ. Com sede física no nordeste, a loja virtual XYZ trabalha com o nicho moda. Na hora de divulgar seus produtos no Google e nas redes sociais, a empresa decide direcionar o anúncio para o sul do país, pois quer aumentar as vendas na região.

Só que o e-commerce XYZ não consegue competir com o valor da entrega de empresas sediadas no sul (ou até mesmo no sudeste) e, por causa disso, o dinheiro investido em anúncios não retorna em vendas. O motivo disso? A empresa não levou em consideração o custo do frete (um dos aspectos da logística) na hora de criar a estratégia de divulgação. O marketing não “conversou” com a logística. 

Esse é um dos motivos pelos quais o marketing e a logística do seu negócio precisam andar de mãos dadas. Caso a sua empresa tenha setores bem definidos, é importante estimular a integração entre as diferentes frentes de atuação do negócio para evitar que as áreas trabalhem de maneira isolada, sem uma noção abrangente da organização.

Como começar a integrar Marketing e Logística?

como integrar marketing e logística?

Você já ouviu falar nos “4 Ps do Marketing”? Esse famoso conceito serve para resumir quatro pontos essenciais de uma estratégia de marketing. São eles: produto, preço, promoção e praça. Mas, de acordo com o já mencionado professor Martin Christopher, os três primeiros Ps costumam receber mais atenção, enquanto o último deles (praça) acaba tendo menos destaque.

E o que isso tem a ver com integrar marketing e logística? Bem, a praça corresponde ao conceito de “local” no qual você oferece o seu produto. No mundo atual, a praça pode estar tanto online como offline. O ponto importante é que você precisa oferecer o produto em locais nos quais o seu cliente está. Lembre do exemplo do e-commerce XYZ: ao desconsiderar o aspecto “praça” da estratégia de marketing, a empresa não pensou na logística das entregas e desperdiçou dinheiro.

Se nossa loja fictícia tivesse considerado a localização física dos clientes na hora de anunciar, teria percebido que seus potenciais compradores provavelmente estão no nordeste mesmo. Com isso, o e-commerce XYZ poderia investir em anúncios direcionados para uma região na qual ele já é forte. Consegue compreender o poder da dupla marketing e logística?

Confira 4 perguntas que podem ser úteis para começar a integrar a logística com o marketing da sua empresa:

  • Os seus anúncios estão sendo direcionados para localidades nas quais a sua estratégia logística é mais forte?
  • O seu estoque está preparado para lidar com o aumento de demanda causado por uma ação promocional? (Black Friday, Dia do Consumidor, Dia das Mães etc)
  • Seus parceiros logísticos disponibilizam pontos para retirada de mercadorias? Vale mencionar que essa é uma tendência no e-commerce. Atenta a isso, a transportadora Jadlog passou a oferecer o serviço. Vale ficar de olho!
  • Você tem um processo de logística reversa para lidar com trocas e devoluções? 

A logística mostra oportunidades para quem está atento

Prestar atenção aos aspectos logísticos do seu negócio vai ajudá-lo a identificar oportunidades e tendências do mercado. Por exemplo: você sabia que 64% das pessoas aceitariam pagar mais caro por um frete rápido? É isso o que diz uma pesquisa da PwC. Na prática, quem não oferece opções de entrega expressa está perdendo vendas. 

Esse dado vai ao encontro de uma tendência do mercado atual. Antes, as empresas se esforçavam para oferecer produtos de qualidade a preços competitivos. Hoje, por outro lado, a padronização nivelou a qualidade dos produtos disponibilizados no mercado. O preço continua importante, mas nem sempre é essencial na decisão do cliente. Como o dado da PwC nos mostra, a rapidez na entrega do produto pode ser um fator decisivo para a compra… Ou para a desistência.

Foi ficando de olho na importância dos processos logísticos que a Netshoes identificou oportunidades no mercado e se transformou em um dos maiores grupos de e-commerce do Brasil. 

O exemplo da Netshoes

A Netshoes é um exemplo de integração entre logística e marketing. A empresa utiliza estratégias como o frete grátis e a entrega expressa como argumentos de venda em suas ações promocionais. E vai bem além disso: preocupada com a eficácia de seus processos logísticos, a Netshoes criou centros de distribuição em localizações estratégicas do país.

Graças a essa atitude, a Netshoes consegue oferecer frete expresso com prazo de entrega a partir de dois dias úteis para determinadas regiões do Brasil. Em entrevista para o portal Mercado & Consumo, o diretor de logística da empresa, Marcio Chammas, comentou que essas melhorias são justamente para acelerar as operações e otimizar a prestação de serviço ao cliente.

Lembra do que falamos logo acima? Sobre mais de 60% das pessoas estarem dispostas a pagar mais por uma entrega rápida? Pois é! A Netshoes está extremamente alinhada com essa tendência. 

Use a tecnologia a seu favor

E se você pudesse comparar condições entre diversas transportadoras (inclusive Correios), escolher a mais vantajosa e gerar o seu frete com praticidade pela internet? Pois fique sabendo que você pode! Basta usar o Melhor Envio, uma plataforma gratuita de gestão e geração de fretes para quem vende online.

Além de economizar tempo, quem usa o Melhor Envio economiza dinheiro. Como temos grande volume de envios, conseguimos negociar condições mais competitivas com as empresas de transporte e repassá-las para os mais de 150 mil lojistas cadastrados na plataforma. E tudo isso sem mensalidade ou limite mínimo de envios. Cadastre-se agora e aproveite nossos serviços exclusivos!

Posts relacionados

Deixe um comentário