Descubra por que o caixa tem que ser a sua prioridade

Em tempos de poucas vendas no e-commerce, é preciso pensar novas formas de se organizar financeiramente.

É por conta disso que este artigo traz algumas orientações sobre o que você deve fazer para continuar operando a sua empresa neste momento.

O caixa tem que ser a sua prioridade

Em um período de poucas vendas, é preciso ter em mente que o foco precisa ser o caixa da empresa.

Isso ocorre porque, na ausência desse capital, não será possível honrar os compromissos no curto prazo com os seus stakeholders, como funcionários e fornecedores, por exemplo.

Busque mecanismos que agilizem a entrada de dinheiro em conta, como os citados abaixo:

  • Adiantamento de recebíveis
  • Descontos agressivos para o pagamento no boleto
  • Estimule o pagamento via transferência bancária

Além desses mecanismos, há uma outra maneira de agilizar a geração de caixa, que é através da precificação de produtos.

Em dias comuns, o seu foco deveria ser buscar uma formação de preços voltada ao lucro, através da margem de contribuição.

Mas, em períodos como esse que estamos passando, a recomendação é reduzir os preços de produtos estocados há mais tempo, para que estimule o consumidor à compra.

Por mais que essa estratégia de preço reduza a margem de lucro ou até transforme a venda em prejuízo, é um meio de girar o capital que, antes, estava congelado em forma produto e, agora, é dinheiro em caixa.

Vale lembrar também que essa estratégia é aplicável apenas no curto prazo e que, após esse período, novos rumos devem ser seguidos.

Reduzir o ponto de equilíbrio é fundamental

Caso você não saiba, o ponto de equilíbrio operacional (PEO) de uma empresa mede o quanto é preciso faturar para que você consiga pagar todas as suas contas.

E, a partir desse faturamento, começamos a ver lucro dentro da empresa.

Esse indicador é calculado da seguinte forma:

PEO = Custos Fixos Totais / Margem de Contribuição Total

E como é possível ver, uma forma de reduzir esse indicador para que consigamos pagar mais rapidamente todos os nossos custos é reduzindo os custos fixos.

Ou, então, aumentando a margem de contribuição — que é um caminho pouco eficaz nesse momento.

Reduzir o PEO é uma maneira de acabarmos precisando faturar menos para conseguir honrar com todos os gastos do negócio.

Neste vídeo você pode saber um pouco mais sobre esse indicador tão importante.

Caso a sua empresa tenha caído muito em vendas, é o momento de buscar a redução dos custos fixos.

Não tome decisões precipitadas

Em todo momento de agitação causado no mercado e especialmente no mundo, é normal agirmos por impulso.

Tomar decisões que são do âmbito emocional não é um bom caminho, por isso é importante analisar com muito cuidado os impactos de cada ação.

Abaixo, você encontrará duas principais ações que são comuns em momentos assim e com as quais você deve ter muito cuidado. 

Desfazer vínculos com fornecedores

Um fornecedor é uma empresa igual à sua empresa, concorda?

Sem um fornecedor, não conseguimos obter o produto para venda ou a matéria-prima para a criação — essa é uma linha que não podemos romper.

Caso haja esse desequilíbrio, todo um mercado pode se desestabilizar.

Além disso, quebrar um acordo ou contrato com um fornecedor neste momento vai sujar a imagem da sua empresa e te gerar possíveis multas e até processos.

Em outras palavras, mais dores de cabeça e custos para a empresa.

Busque negociar novos prazos com os seus fornecedores, encontre um caminho que fique bom para ambos os lados.

A crise vai passar e, quando isso acontecer, as boas relações e vínculos criados nesse momento vão continuar. 

Demitir funcionários em massa

Uma demissão em massa de funcionários também não é um caminho a ser seguido. Assim como um fornecedor, os seus funcionários podem te causar bons processos trabalhistas.

Além do impacto na economia gerado pelo desemprego, o que causa a diminuição do poder de compra do cliente final.

Um caminho que você pode seguir caso esteja cogitando demitir funcionários é o acordo entre ambas as partes.

Explique a situação para os seus liderados, reduza salários, adie o pagamento de bônus e comissões se for possível. Em alguns casos, realmente tire do seu time aqueles funcionários que não rendem o quanto deveriam render.

Conclusão

As dicas que você acabou de ler são as mesmas dicas que muitos negócios seguiram nos países afetados pelo coronavírus e em outras crises econômicas anteriores, como a de 2008.

Essas ações ajudaram esses negócios a passar pela crise, transformando esse momento em um ponto de virada na gestão.

Ao focar toda a gestão para a geração de caixa, controle e otimização de indicadores fundamentais, como o ponto de equilíbrio e a constante busca pela performance de seus funcionários.

Este artigo foi escrito pela equipe do Preço Certo, empresa que possui o objetivo de ajudar cada vez mais negócios a gerarem mais lucro e caixa.

Posts relacionados

Deixe um comentário