Frete grátis: mitos e verdades sobre a estratégia

Quer ficar por dentro do que está envolvido na oferta de frete grátis no e-commerce? Então você não pode perder as dicas que preparamos para você!

 

Se você nunca utilizou em algum momento a técnica de frete grátis, certamente ouviu falar dela. Quando bem pensada, esta é uma estratégia interessante para reduzir a taxa de abandono de carrinho, aumentar as vendas e elevar o ticket médio.

Por outro lado, você deve ter muito cuidado antes de optar pelo frete grátis sem um planejamento e a definição de critérios. Assim como existem motivos para testar a gratuidade no envio, há também razões que indicam que devemos ter cautela.

Então, para que você tenha subsídios para avaliar o que está dentro da realidade do seu negócio, elencamos algumas dicas. Continue esta leitura e veja os mitos e verdades sobre o frete grátis no e-commerce.

 

Tire suas dúvidas sobre frete grátis

 

É a única forma de vender pela internet

Mito. No Brasil, o custo do frete ainda sai bastante salgado para muitos vendedores digitais. O que implica na dificuldade dos lojistas em viabilizar a gratuidade para todos os artigos comercializados na internet. Há sim como vender mesmo sem disponibilizar este benefício.

Conforme o especialista, Bruno de Oliveira, do canal Ecommerce na Prática, um e-commerce com um ticket médio de R$ 100,00 gasta em torno de 15% do faturamento com frete.

Isso torna inviável trabalhar apenas com frete grátis como um padrão e-commerce.

 

Contribui para o aumento da taxa de conversão

Verdade. Existem contextos em que a oferta de frete grátis realmente contribui para converter os visitantes em clientes. Um deles é quando a ação influencia também na redução da taxa de abandono de carrinho, que gira em torno de 82%, graças ao preço do frete.

Esta é uma razão que motiva o uso do frete grátis no e-commerce, como uma tentativa para evitar que o cliente desista da compra ao achar o envio caro.

 

Ajuda a elevar o ticket médio

Verdade. É o caso quando a isenção na taxa de entrega estimula o consumidor a gastar uma quantia maior para obter o benefício. Ou seja, no total, o volume de compra daquele pedido paga o valor do frete.

Você pode determinar que as compras a partir de R$ 200,00, por exemplo, contarão com frete grátis. Assim, o comprador que colocar mais produtos no carrinho e fechar a compra deles no mesmo pedido não pagará o envio. Parece um bom negócio, certo? E é!

Este é um exemplo no qual o custo-benefício do frete grátis é positivo, pois a estratégia resulta no aumento do valor em cada pedido. Portanto, as pessoas pagam mais para ter frete grátis e isso pode elevar o ticket médio.

 

É um padrão do e-commerce

Mito. Nenhum vendedor é obrigado a oferecer frete grátis. Pelo contrário, dar esse privilégio ao consumidor só faz sentido se for lucrativo para o lojista.

O custo pode ser embutido no preço do artigo

Verdade. Há situações em que o lojista pode embutir no valor do produto uma margem de contribuição para o frete. Algo em entre 10% e 12% do valor do item costuma funcionar bem. 

Mas por que o consumidor compraria um item mais caro? A resposta está na psicologia, pois o e-commerce aproveita um gatilho mental ativado pelas palavras “frete grátis” para vender.  Esse gatilho incentiva o cliente a considerar mais vantajoso adquirir o produto com um valor um pouco maior, afinal, o frete é grátis.

Alerta: entretanto, essa estratégia não se aplica a todos os tipos de artigos. No caso de eletrônicos, por exemplo, o valor dos produtos está entre os principais critérios de comparação para os clientes

Neste caso, elevar o preço das suas mercadorias pode ser arriscado, pois os visitantes podem ir para a concorrência. Ou, você terá que reduzir seu lucro para fazê-lo finalizar a compra.

Agora, se você atua com vestuário, acessórios ou cosméticos especiais fica mais fácil ter sinal verde para seguir em frente. Isso porque neste ramo, não é tão fácil comparar preços em vários sites. 

 

É um atrativo interessante em datas comemorativas

Verdade. É sempre bom ter um diferencial extra para competir nas épocas de aquecimento das vendas, como as datas comemorativas. Sem falar, que estes períodos são ótimos para a oferta da isenção nas taxas de entrega. Afinal, para muitos vendedores pode ser complicado disponibilizar o benefício por um tempo contínuo.

Quer saber mais dicas para elaborar sua estratégia de gratuidade de envios de forma assertiva e sem sair no prejuízo? Então leia também:

Como e quando oferecer frete grátis

 

A regra geral é testar!

 

O que funciona para um negócio, pode não render o esperado em outro. Segundo o especialista em e-commerce, Marcio Eugênio, da D Loja Virtual, o ideal é verificar quais estratégias realmente funcionam para você.

Entre os testes que podem ser feitos estão estipular um valor mínimo de compra e investir em sugestões de produtos a serem comprados juntos. E é claro, certifique-se de acompanhar o desempenho da estratégia para avaliar sua eficiência.

Não esqueça também de investir na divulgação do frete grátis em seu e-commerce. Quanto mais claro ficar que você oferece essa possibilidade, maiores serão as chances da abordagem atrair a clientela.

 

A competitividade que você precisa garantir o seu frete 

 

Não poderíamos concluir este post sem lembrá-lo da importância de ter uma gestão de fretes assertiva como um todo. Seja na hora de oferecer frete grátis ou não, temos a tecnologia certa para ajudar o seu e-commerce a ser mais competitivo.

Estamos falando do Melhor Envio, uma solução completa de fretes. Em nossa plataforma, fica muito mais fácil cotar entregas e gerar etiquetas de postagens com Correios ou transportadoras privadas. Você escolhe!

Visite nosso site e conheça todas as ferramentas que dispomos para tornar o seu frete um aliado do seu negócio!

Posts relacionados

Deixe um comentário