Coronavírus: 8 dicas para continuar vendendo com segurança

A pandemia do coronavírus mudou a rotina do varejo mundial. Aqui no Brasil não foi diferente. Com vários estados decretando a suspensão de serviços não essenciais, as lojas físicas se viram obrigadas a fechar as portas.

As redes Via Varejo, Guararapes (Riachuelo), Renner, Magazine Luiza, C&A, Marisa, Americanas, SBF/Centauro e Hering já interromperam as atividades de mais de 4 mil lojas — somadas, as empresas empregam 171,5 mil funcionários.

O cenário é delicado. Vidas e empregos estão em jogo. Como manter os negócios economicamente viáveis sem colocar a saúde pública em risco?

Essa questão não tem uma resposta única. Porém, em um momento no qual a circulação de pessoas está restrita ao essencial, o comércio eletrônico pode ajudar consumidores e varejistas a superarem a crise. 

Ao longo deste texto, vamos dar 8 dicas de como continuar vendendo (ou começar a vender) com segurança durante a pandemia. Boa leitura!

1) Quem tem funcionários deve adequar o trabalho ao momento atual

pessoa trabalhando em home office
Imagem: Pexels

Nós sabemos que muitos dos nossos leitores gerenciam sozinhos o próprio negócio. Se você trabalha dessa forma, pode pular para a dica 2 sem problemas.

Como continuou lendo, vamos supor que você trabalha com outras pessoas, ok?

Neste momento, adotar medidas de distanciamento social é essencial para retardar o avanço do COVID-19. O ideal agora é reorganizar as escalas de trabalho para evitar que várias pessoas fiquem juntas no mesmo ambiente.

Flexibilizar os horários de início e fim da jornada também é importante para seus funcionários conseguirem escapar dos horários de pico no trânsito. 

Além disso, como você provavelmente já sabe, o coronavírus não afeta todas as pessoas da mesma forma. Alguns grupos sociais são mais suscetíveis à doença e podem ter quadros mais graves se infectados.

Se pessoas da sua equipe pertencerem a algum grupo de risco (idosos, pessoas com doenças cardíacas, fumantes, diabéticos, asmáticos), o ideal é que esses funcionários se mantenham em casa, trabalhando remotamente.

2) Diversifique seus fornecedores

imagem mostra prateleira com produtos faltando para ilustrar a importância de diversificar fornecedores durante crise do coronavírus
Imagem: Rawpixel

O que aconteceria se o fornecedor do seu principal produto avisasse que não vai ter como te atender durante a crise do COVID-19?

A resposta que você dá a essa pergunta diz muito sobre a solidez do seu negócio. 

Depender de um único fornecedor não é bom em momento algum. Em uma crise como a que estamos vivendo agora, isso é ainda pior.

A nossa dica nesse caso é bem direta: diversifique seus fornecedores. Isso vai evitar que você fique na mão se acontecer algum imprevisto.

Mas como descobrir novos fornecedores?

Não existe uma fórmula secreta para encontrar o fornecedor perfeito, porém existem algumas maneiras de facilitar esse processo de busca. 

Eventos do setor

Todos os setores têm feiras e eventos próprios. Como o cenário atual pede isolamento, esses encontros com certeza foram adiados, mas você pode usar a internet para conferir as empresas que costumam participar desse tipo de ocasião.

Por exemplo: fornecedores de calçados com certeza vão participar de eventos do setor calçadista. E é assim que você descobre possíveis novos parceiros. 

Busca online

O bom e velho Google é ótimo para encontrar fornecedores. É claro: o processo vai exigir paciência e um grande número de ligações frustradas, não vamos mentir. 

Apesar disso, é praticamente impossível que você não ache o que procura no maior site de buscas do mundo. 

Concorrência

Seus concorrentes podem te ajudar a encontrar o fornecedor certo. Estranho, né? Mas é verdade. Você pode comprar de uma empresa que vende o mesmo produto que você e, com isso, descobrir qual é o fabricante daquele item. 

Não é mágica. No Brasil, os produtos industrializados devem obrigatoriamente informar o CNPJ do fabricante. Sabendo o número do CNPJ, basta acessar o site da Receita Federal e consultar informações sobre a empresa. 

Nome fantasia, e-mail e até número de telefone podem ser encontrados dessa forma. Depois é só partir para o Google, né? 😉

3) Prepare o seu estoque para a crise do coronavírus

estoque de produtos para crise do coronavírus
Imagem: Pexels

Essa dica está diretamente relacionada com o que falamos sobre fornecedores logo acima. 👆

Quando vivemos épocas normais, é pouco aconselhável manter estoques muito grandes. 

Afinal, o dinheiro investido em estoque poderia ser aplicado em outras áreas da empresa. 

Em tempos de coronavírus, por outro lado, tudo funciona de modo diferente. Não é à toa que a Amazon fez o que pôde para assegurar seu estoque de produtos fabricados na china.

De acordo com informações do Business Insider, a empresa de Jeff Bezos intensificou a compra de produtos chineses no mês de fevereiro com o objetivo de evitar quebras na cadeia de suprimentos.

E bom, se a Amazon estava alerta para a necessidade de ter um estoque robusto já em fevereiro, acho que podemos dizer que se trata de uma boa prática, não é? 

Não estamos dizendo para você expandir seu estoque sem critérios — até porque isso vai depender de quanto dinheiro você tem em caixa —, mas é importante ter em mente que um estoque robusto pode fazer a diferença nos próximos meses.

Ainda é difícil prever por quanto tempo a crise do coronavírus vai impactar a circulação de pessoas e mercadorias. Alguns especialistas falam em semanas, outros em meses. Vale a pena estar preparado para enfrentar um cenário tão incerto.

Alguns dados que podem te ajudar a decidir quais produtos estocar:

  • Compras de itens mais caros estão sendo adiadas, principalmente pela geração Z (pessoas com idade entre 16 e 23 anos).
  • O momento atual é de alta procura de bens não duráveis. Produtos de higiene e saúde registraram altas expressivas nas últimas semanas. Segundo a Nielsen, a venda de antissépticos cresceu 623% entre a última semana de fevereiro e a primeira semana de março.
Imagem: Nielsen
  • Em países onde o e-commerce tem alta penetração, como a França, a venda de gêneros alimentícios aumentou 84% no dia seguinte ao anúncio da quarentena. O mercado de grocery, que ainda não é tão desenvolvido no Brasil, se viu sobrecarregado em poucos dias em razão do aumento súbito da demanda. Redes como Carrefour e Pão de Açúcar foram obrigadas a aumentar prazos de entrega para conseguir atender a enxurrada de pedidos. O setor provavelmente vai crescer bastante no país após essa crise. Vale a pena ficar de olho.

4) Seu atendimento precisa ser humanizado

coronavírus
Imagem: Pexels

É preciso entender que a crise do coronavírus não afeta somente a economia. Eventos desse porte mexem com as nossas emoções.

Um atendimento humanizado leva o aspecto emocional em consideração. Afinal, sempre existe uma pessoa do outro lado da tela. 

E essa pessoa está entrando em contato porque tem alguma dúvida ou precisa da sua ajuda.

Cabe a você a missão de responder as perguntas dos seus clientes e ajudar no que for preciso. 

Sabemos que muitas empresas estão enfrentando aumento no número de atendimentos em razão do coronavírus, e que não é fácil responder todo mundo, mas no momento é um esforço necessário.

Você pode ter certeza de uma coisa: as pessoas nunca esquecem de um atendimento bem feito. Pense na sua experiência como consumidor. A gente aposta que você lembra dos lugares onde foi bem atendido — e o inverso também é verdade!

Além de levar em conta o fator humano, seu atendimento precisa ser unificado. Isso vai ficar mais claro com um exemplo, então vamos lá:

Imagine que você tenha conversado com uma cliente (que vamos chamar de Andressa) pelo WhatsApp e pela sua central de atendimento na loja virtual ou no marketplace. Essa conversa acontece em dois momentos diferentes, antes e depois da compra. Ah: você vende camisetas nesse exemplo, ok? 

No WhatsApp, ela te chamou antes de fechar a compra porque queria saber mais informações sobre o seu produto. Depois de fechar a compra, a Andressa percebeu que escolheu o tamanho errado de camiseta, e te chamou na central de atendimento para modificar o pedido.

Nessa situação, o ideal é que você já saiba com quem está falando. É muito chato quando o cliente precisa explicar a situação em vários canais diferentes, então é importante trabalhar para unificar a sua experiência de atendimento.

E para otimizar a velocidade do atendimento?

Ferramentas como WhatsApp Business e Facebook Messenger podem te ajudar a lidar com o aumento no número de chamados. Ambas permitem a criação de respostas automáticas, uma funcionalidade que você pode aproveitar para otimizar a velocidade do seu atendimento.

Assim que o cliente mandar uma mensagem, a sua resposta automática deve ser capaz de instruí-lo a enviar todas as informações necessárias ao atendimento. Assim, quando você ler a conversa não precisará pedir informações adicionais.

Exemplo de mensagem automática que otimiza o atendimento:

“Oi! Tudo bem? Obrigado por entrar em contato. Esta aqui é uma mensagem automática, mas logo logo um atendente de verdade vai conversar com você. Para já adiantar o assunto, vou pedir que você explique detalhadamente a situação. 

Se for algum problema relacionado a compras, por favor, já me passe o código do pedido para eu checar o que pode ter acontecido, certo? Muito obrigado!”

Mais uma dica: se você mesmo precisar de atendimento durante esse momento difícil, saiba que o Sebrae tem um canal gratuito para que empreendedores possam tirar dúvidas em tempo real. Clique aqui para acessar.

5) Pense em como proteger os seus pacotes do coronavírus

coronavírus
Imagem: Rawpixel

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o coronavírus não sobrevive a longos períodos de transporte. Na prática, não há risco de uma encomenda que vem de outro país chegar contaminada. Vale lembrar que esse era um dos grandes medos do e-commerce no começo da pandemia.

Mas afinal, por quanto tempo o vírus pode permanecer em superfícies? Encomendas domésticas podem vir contaminadas?

Segundo um estudo realizado nos Estados Unidos, o COVID-19 sobrevive por 72h (3 dias) em superfícies de aço inoxidável e plástico e apenas 24h (1 dia) em superfícies de papelão. 

Apesar de ser uma chance remota de contágio, esses dados mostram que é preciso ter cuidado com encomendas. Uma eventual contaminação pode acontecer na última milha do frete, quando o entregador deixa o pacote na casa do cliente, por exemplo.

Para lidar com a situação, o site Fast Company se baseou no estudo citado acima para sugerir que o mais seguro é partir do princípio que o pacote recebido está infectado. 

Ou seja: é interessante orientar o seu cliente para que ele tome cuidados após receber a encomenda. Afixar uma mensagem na parte externa da embalagem ou enviar um e-mail são formas simples de fazer isso.

Confira abaixo um exemplo de como você pode orientar seus clientes.

Modelo de orientação para os seus clientes:

Em tempos de COVID-19, o melhor é prevenir!

  • Descarte a embalagem em que recebeu o produto.
  • Lave as mãos com água e sabão. Importante: não leve as mãos ao rosto antes de higienizá-las. 
  • Com o auxílio de luvas de limpeza, higienize a superfície que entrou em contato com a embalagem. Use álcool em gel, detergente ou água sanitária (1 parte de água sanitária para 9 partes de água) para fazer isso.
  • Nós da NOMEDASUAEMPRESA tomamos todas as precauções antes de enviar o produto para a sua casa. Depois de descartada a embalagem, pode ficar tranquilo. Mas, se quiser garantir, passe álcool gel 70% no conteúdo da sua encomenda para acabar com qualquer dúvida. 
  • Obrigado por confiar na gente mesmo em um momento tão difícil. Se cuida! 

6) Fique de olho nas linhas de crédito

coronavírus
Imagem: Rawpixel

Pode ser que a sua empresa precise de apoio financeiro para ultrapassar a crise. Pensando nisso, é importante ficar de olho nas diversas linhas de crédito que foram anunciadas por grandes instituições financeiras com o objetivo de ajudar as pequenas e médias empresas. 

Em medida emergencial, o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) já colocou R$ 5 bilhões à disposição de empresas que precisem de crédito rápido e flexível para enfrentar a pandemia. Clique aqui para conferir todas as medidas anunciadas pela instituição. 

Além disso, vários outros bancos além do BNDES também estão com linhas de crédito especiais. Pensando em facilitar a vida do empresário, o Sebrae está catalogando todas as instituições financeiras que anunciaram condições diferenciadas para empréstimos. Clique aqui para acessar!

7) Aproveite as ferramentas digitais para ser mais produtivo durante crise do coronavírus

A crise do COVID-19 obrigou muita gente a entrar no mundo digital de uma hora para outra. Com isso, podemos esperar que o e-commerce passe a fazer parte da vida de um número cada vez maior de pessoas mesmo depois do fim da crise.

A necessidade de isolamento também fez crescer a demanda por ferramentas capazes de facilitar o trabalho remoto. Com videoconferências tomando o lugar de encontros presenciais — entre outras mudanças —, se faz necessário encontrar formas de operacionalizar as tarefas cotidianas. 

Separamos algumas ferramentas e serviços que podem te ajudar durante a crise atual (e depois dela também). Confira:

Internet sem fio gratuita da Claro

A rede sem fio “#NET-CLARO-WIFI” está liberada durante a quarentena mesmo para quem não é cliente Claro. Você só precisa fazer um breve cadastro no site da operadora para conseguir usar. Saiba mais.

internet gratuita para usar durante isolamento contra o coronavírus
Imagem: Rawpixel

Videoconferência com Google Hangouts Meet, Zoom e WebEx

Videoconferências são essenciais para substituir reuniões presenciais. Apesar de aplicativos como WhatsApp e Skype funcionarem bem para esse tipo de tarefa, existem soluções mais adequadas ao uso empresarial. 

Google Hangouts Meet

O Google liberou recursos adicionais do Hangouts Meet de forma gratuita até o dia 1º de julho. Com isso, é possível fazer reuniões com até 250 pessoas, transmitir vídeo ao vivo para 100 mil espectadores e gravar chamadas no Google Drive. O recurso faz parte do pacote G Suite, serviço do Google para empresas.

videoconferências são alternativa a confinamento imposto por coronavírus
Imagem: Google

Zoom

O serviço de videoconferência Zoom tem um plano gratuito capaz de atender às necessidades de pequenas empresas. Com ele, você pode ter reuniões com até 100 participantes por um tempo limite de 40 minutos. 

videoconferências são alternativa a confinamento imposto por coronavírus
Imagem: ZoomE

WebEx

Serviço similar ao Zoom, o WebEx também permite fazer reuniões com até 100 participantes de forma gratuita. Ao contrário do concorrente, o plano grátis do WebEx não impõe limite de tempo às reuniões — algo bem útil para quem precisa fazer encontros mais longos.

videoconferências são alternativa a confinamento imposto por coronavírus
Imagem: Cisco WebEx Meetings

Disparo de e-mails em massa

disparo de e-mails em massa para divulgar novidades durante crise do coronavírus
Imagem: Pexels

Se você ainda não implementou uma estratégia de e-mail marketing na sua empresa, chegou a hora de fazer isso! Os e-mails são ótimos para manter contato com a sua base de clientes, além de servirem para anunciar produtos e novidades. 

Existem diversas ferramentas que você pode usar para disparar e-mails em massa de forma gratuita: MailChimp, Moosend, Hubspot e Sendinblue (esta última totalmente em português) são apenas alguns exemplos.

Todas as plataformas citadas acima possuem uma usabilidade semelhante. Elas fornecem templates pré-configurados de e-mail e você só precisa adaptá-los às suas necessidades. 

Edição de imagem simplificada com Canva e Fotor

Devido à pandemia, pode ser que você tenha necessidade de criar materiais visuais com mais frequência para abastecer suas redes sociais com informações novas.

Só que isso pode ser um grande problema para quem tem pouca experiência em design, né? Usar programas profissionais como Photoshop e CorelDRAW é algo bem difícil para quem não é do ramo.

Por sorte, quem não tem muito conhecimento nessa área pode usar sites como Canva e Fotor para facilitar a criação de posts para redes sociais, banners para site e várias outras peças visuais essenciais ao dia a dia de quem vende online.

Ambas as ferramentas utilizam o sistema “arrastar e soltar” para a criação de materiais visuais, como você pode visualizar no exemplo abaixo, que mostra a interface do Canva.

Cursos gratuitos para aprimoramento pessoal

Passar mais tempo em casa é inevitável no contexto atual. Cientes disso, universidades, plataformas de ensino a distância e até algumas marcas disponibilizaram cursos gratuitos para quem tem vontade de usar o período de quarentena para adquirir novas habilidades.

Confira uma lista de sites que oferecem capacitações gratuitas:

  • Harvard: mais de 100 cursos gratuitos em diversas áreas do conhecimento. Confira!
  • FGV: mais de 50 cursos gratuitos. Confira!
  • Senai: mais de 15 cursos gratuitos voltados ao aprendizado industrial. Confira!
  • Sebrae: mais de 100 cursos gratuitos voltados às diversas áreas do empreendedorismo. Confira!
  • Dobra: a marca de carteiras liberou gratuitamente seu curso sobre empreendedorismo. Confira!
  • Mindschool: cursos gratuitos voltados ao aprendizado em marketing. Confira!

8) Gere seus fretes pela internet

calculadora de fretes do melhor envio para gerar fretes pela internet durante crise do coronavírus

Evitar aglomerações é vital para frear o avanço do COVID-19. Por isso, nós nós recomendamos que você gere as suas etiquetas de frete pela internet após concluir suas vendas. 

Assim, você já chega na transportadora com o pacote pronto para ser postado, o que reduz drasticamente o seu tempo de permanência no local. Para fazer isso, basta criar uma conta gratuita no Melhor Envio e começar a gerar seus fretes online. 

Uma breve explicação para quem não nos conhece: somos uma plataforma que conecta o e-commerce com as principais transportadoras do país, inclusive Correios. 

Usando o Melhor Envio, é possível…

✅Comparar preços e prazos simultaneamente com diversas transportadoras (sem necessidade de contratos com cada empresa)
✅Gerar a etiqueta de envio e pagar pelo seu meio preferido (Mercado Pago, PayPay, PagSeguro, boleto bancário e outros)
✅Conectar nossas cotações no cálculo de frete da sua loja virtual e, com isso, oferecer entregas a preços exclusivos

A lista não acaba por aí, é claro. O Melhor Envio tem uma série de funcionalidades que ajudam quem vende online a economizar tempo e dinheiro todos os dias. 

Cadastre-se agora e comece a gerar seus fretes pela internet com praticidade e segurança. É gratuito, sem taxas escondidas ou limite mínimo de envios. Você só paga pelos fretes que gerar. 

Posts relacionados

Deixe um comentário