Adaptação ao coronavírus: leve sua loja física para a internet

Saiba as melhores estratégias para começar a vender pela internet e comece agora mesmo a superar os desafios do coronavírus

Com as regulamentações de combate ao coronavírus vindas das esferas federal, estadual e municipal restringindo a abertura do comércio, muitas lojas físicas precisaram manter as portas fechadas.

Ainda não se sabe por quanto tempo será necessário permanecer em isolamento para reduzir o contágio da Covid-19. Mas, isso não quer dizer que a quarentena seja um impeditivo total às suas vendas.

Pelo contrário, se você atua somente com uma loja física, este é o momento para começar a pensar na ampliação da sua atividade: e começar a vender também pela internet!

As formas e estratégias mais rápidas para adaptar a sua operação offline e colocar os seus produtos à disposição também no ambiente online são os assuntos que vamos falar neste artigo. Não perca!

Coronavírus e a mudança no comportamento do consumidor

Imagem: Rawpixel

O que estamos vendo, do ponto de vista comercial, neste período de combate ao coronavírus? Se você pensou que nesta área também precisamos nos ajustar às mudanças impostas pelo surgimento da pandemia, você está no caminho certo.

A verdade é que estamos presenciando uma série de alterações no cotidiano das pessoas em todo o mundo. E nenhum setor poderá ficar de fora dessa adaptação.

Principalmente, devido às diversas alterações no comportamento dos consumidores sinalizarem mais do que tendências provisórias: estamos prestes a conhecer os reflexos que o impacto da Covid-19 terá na criação de uma nova fase da cultura de consumo.

O que estamos falando aqui é da expectativa de os consumidores se comportarem diferentemente até mesmo após a quarentena.

As pessoas já começaram a se voltar mais para as compras pela internet no momento em que o isolamento social restringiu as compras presencialmente. 

Afinal, com a redução das idas às lojas físicas, os produtos oferecidos online passaram a ser a opção mais viável e segura neste período de instabilidade causado pelo coronavírus.

Some a esse panorama o ingresso de um contingente de pessoas que, até então, ainda não havia comprado pela internet. É muito difícil que elas passem por essa situação atípica sem efetuar a primeira aquisição online, não é mesmo?

É para esse contexto que queremos chamar a sua atenção!

Coronavírus: momento de levar sua loja física para o online

Conforme a Nielsen – referência em dados e serviços no comércio eletrônico – a expectativa é de termos mudanças permanentes no e-commerce

Parte desse aumento seria motivado pelos novos clientes que estariam estreando no e-commerce motivados pela adaptação no consumo, que por sua vez, seria provocada pela crise do coronavírus.

De acordo com a Nielsen, o total registrado de pessoas realizando a primeira compra online chegou a 45%, segundo indica o gráfico abaixo:

Como começar a vender pela internet: um aviso importante!

Claro que a prevenção ao coronavírus é importante, mas sabemos que também é uma preocupação para você manter as portas da sua loja fechadas. 

Por este motivo estamos aqui: para mostrar alternativas que permitam garantir a sua segurança e a da população sem prejudicar o seu negócio em tempos de coronavírus.

Acreditamos que, a essa altura, tenha passado pela sua cabeça a possibilidade de criar uma loja virtual e oferecer o seu estoque para venda na internet

Se a gente acertou e você realmente se viu diante desse questionamento, vamos fazer um alerta: vá com calma! Existem outras formas mais rápidas e práticas de ampliar a sua atividade do offline para o online.

Isso quer dizer que não vale a pena criar uma loja virtual? Pelo contrário! É muito interessante atuar em ambos setores. 

Porém, tão importante quanto ter um bom ponto para a sua loja física é atrair um fluxo de visitantes para a sua loja virtual. O que é bem mais difícil se você parte direto para empreender na internet com uma loja virtual própria.

O especialista Bruno de Oliveira, CEO do Ecommerce na Prática, explica melhor o que você precisa fazer ANTES de decidir abrir a sua loja virtual. 

Neste vídeo você pode entender também a diferença entre e-commerce e loja virtual. Confira!

 

Formas mais rápidas de vender pela internet

Se você assistiu o vídeo ficou bem claro o panorama E-commerce X Loja Virtual. Entretanto, se você preferiu continuar a leitura, vamos resumir o conceito para você.

E-commerce e loja virtual são comumente usados como sinônimos, mas na realidade, caracterizam operações distintas. 

O e-commerce se refere a qualquer transação feita pela internet. Ou seja, quem vende pelo Facebook, pelo Instagram, em marketplaces ou pelo WhatsApp, por exemplo, pode ser considerado como alguém que atua no e-commerce 😊.

Já uma loja virtual é um site próprio, no qual o lojista comercializa os seus itens e é responsável por atrair sozinho o seu público. 

E é aí que mora o problema: começar a sua operação online direto pela loja virtual pode ser uma caminho arriscado. Afinal, é bem mais difícil ter tráfego de visitantes seguindo essa estratégia logo no começo.

Dessa forma, reunimos aqui diversas alternativas nas quais você pode começar a vender pela internet aproveitando o público de outras plataformas

Fazendo isso, você ainda ganha experiência para conhecer o mercado digital e crescer de forma segura e escalável. 

Bora ver o que preparamos para alavancar o seu negócio?

Facebook Marketplace

Imagem: Freepik

Certamente você já navegou pelos perfis e páginas do Facebook. O que talvez você não saiba é que assim como outros canais nos quais é possível vender produtos, a rede social também funciona como um grande catálogo online: através do Facebook Marketplace!

Segundo o estudo Digital in Brazil 2019, idealizado pelo Hootsuite e We Are Social, o Facebook é utilizado por mais de 130 milhões de pessoas. Nossa, é muita gente, né?

Do ponta de vista do seu negócio, imagine todos esses usuários como seus potenciais clientes. Basta apenas você decidir se quer ou não aproveitar as vantagens do Facebook Marketplace!

Como vender no Facebook

Acredite, comercializar seus artigos no Facebook pode ser mais mais fácil do que você pensa! 

Os únicos impeditivos são oferecer serviços em geral, ingressos para eventos, itens relacionados à saúde como kits de primeiros socorros e termômetros, por exemplo, ou quem atue com a venda de animais (embora sejam permitidas publicações e anúncios sobre o comércio de pets no feed).

Se o seu negócio se encaixa em uma das áreas descritas acima, então pule a leitura deste tópico. No seu caso não será possível usar o Facebook Marketplace.

Mas, se você continuou  lendo, vamos considerar que o objetivo seja vender produtos aceitos na plataforma: a primeira coisa que você precisa é ter conta na rede social criada por Mark Zuckerberg.

Para você se familiarizar mais fácil com a ferramenta, separamos o passo a passo para vender um item no Facebook Marketplace

Nas dicas a seguir nos baseamos na aparência do Facebook Clássico, mas se você utiliza o visual do Facebook Novo confira o tutorial neste link.

Imagem: Reprodução Facebook Marketplace

Veja como colocar um item à venda no Facebook Marketplace

  • Na página do seu Feed de Notícias, clique em Marketplace. É a quarta opção no menu à esquerda da tela
  • Agora clique no botão azul + Vender algo (também à esquerda da tela)
  • Após, irá abrir uma janelinha com a pergunta: “O que você está anunciando?”: selecione “item para venda”
  • A tela seguinte é o local em que você irá preencher o seu anúncio, selecionar a categoria, colocar o título e a descrição do que você está vendendo, o preço e até 10 fotos do produto
  • Após completar todos os campos, será possível salvar o rascunho ou clicar em avançar para, em seguida, publicar o seu anúncio. Pronto! Fácil, né?

Saiba mais neste artigo exclusivo: 

Facebook Marketplace: venda seus produtos na maior rede social do mundo

Instagram Shopping

Imagem: Reprodução Netshoes e Ponto Frio

Se é agilidade que você busca neste momento, o Instagram Shopping é a estratégia que a sua loja física precisa para vender online! E ainda com um público total superior a 1 bilhão de contas ativas! Mas como converter esses internautas em clientes? Usando a ferramenta do aplicativo que permite incluir links para a venda direto nas imagens!

Certamente você já viu uma foto enquanto rolava o seu feed e percebeu que ela tinha uns pontinhos brancos… 

Se você clicou na imagem, viu que abriram pequenas caixinhas com o valor dos itens daquela imagem que era, na verdade, um anúncio!

Mesmo sem ter uma loja online os seus produtos também podem ser comercializados assim, sabia? Continue esta leitura e explicamos como!

Como vender no Instagram

Conforme o próprio Instagram revela, 60% dos usuários da rede social costumam descobrir novos produtos através do app. Além disso, mais de 200 mil pessoas visualizam perfis comerciais na plataforma todos os dias.

Então, tudo o que você precisa fazer é se cadastrar no Instagram Shopping e se tornar um vendedor digital rapidamente.

Não sabe qual caminho seguir para fazer isso? 

A gente te mostra as etapas iniciais que vão abrir uma grande oportunidade para o seu negócio: poder contar com um catálogo online e vender artigos através de fotos com o ícone da sacolinha!

  • Obviamente, o primeiro passo é baixar o aplicativo e abrir uma conta no Instagram. Se você já tem um perfil da sua loja, lembre que ele precisa ser uma conta empresarial.
  • Outra informação importante é que você também precisa ter uma página do seu negócio no Facebook
  • Resumindo: é necessário que sua página no Facebook esteja conectada à conta no Instagram. Este é um dos pré-requisitos para poder criar anúncios na rede de compartilhamento de imagens.
  • Como ambas plataformas são do mesmo proprietário, as regras do Instagram são parecidas com as que falamos sobre a oferta de itens no Facebook Marketplace: logo, você não poderá comercializar serviços no Instagram também.

Todos os detalhes para configurar uma conta empresarial e ampliar a sua lucratividade através do Instagram você confere neste artigo dedicado especialmente ao tema:

Como cadastrar seu e-commerce no Instagram Shopping

Marketplace

Imagem: Freepik

A próxima estratégia para que lojistas com pontos presenciais driblem a crise do coronavírus é iniciar a operação em marketplaces. Porém, se você ainda não ouviu falar em marketplace, entenda esse setor como um site varejista que abre espaço para que outros empreendedores, como você, também comercializem artigos no mesmo lugar.

Ou seja, o marketplace é como um shopping center, mas ao invés de ter várias lojas individuais, como nos centros comerciais físicos, reúne todos os produtos (de diferentes lojistas) em uma só vitrine: as páginas de um marketplace!

Para esclarecer melhor, vamos perguntar se você já se deparou com um produto na internet e que, apesar de estar à venda no site de grandes nomes do mercado, como Ponto Frio, por exemplo, era comercializado por outro vendedor. Isso é marketplace!

Amazon, Americanas.com, Shoptime, Submarino, Magazine Luiza, Cissa Marketplace e tantas outras empresas atuam também como marketplaces. Afinal, vendem seus próprios itens e também o de terceiros.

O mesmo se aplica ao Mercado Livre, com a exceção de que os produtos são vendidos integralmente por terceiros.

A grande sacada é a de que – diferentemente de quem administra uma loja virtual – os vendedores em marketplaces não precisam se preocupar com tráfego de visitantes: os canais coletivos de venda atraem o público para você!

Por que vender em marketplace

Não é à toa que chamamos a sua atenção para as vantagens do marketplace. Conforme falamos no começo deste conteúdo, comparado ao que é preciso para montar uma loja virtual, existem formas mais assertivas de ampliar sua operação do off para o online sem riscos maiores.  

O marketplace é uma delas, visto que resolve o problema da dificuldade em atrair o público e ainda direcionando seus itens para o catálogo online com maior visibilidade

Inclusive, começar sua atividade online por este tipo de canal coletivo pode ser uma ótima forma de aprender a gerenciar o “braço digital” do seu negócio.

Por ser um método profissional para desenvolver a sua atividade como lojista online, é possível atuar em diversos marketplaces simultaneamente.

Para isso você pode contar com o apoio de hubs, que são serviços que integram as suas vendas em vários marketplaces. Assim você pode ter uma administração integrada em cada um deles. E lucrar mais!

para ingressar em um marketplace será necessário fazer uma pesquisa e verificar as alternativas separadamente. Isso porque os procedimentos, assim como formas de pagamento e regulamentações, variam conforme cada marketplace.

Saiba mais nestes artigos exclusivos: 

E-commerce próprio ou marketplace?

Quais as vantagens do marketplace de nicho

WhatsApp Business

Imagem: Reprodução Google Play

Se o assunto são as estratégias para ampliar as vendas offline ingressando no online, não poderíamos deixar de fora o potencial do WhatsApp Business para te ajudar nessa hora. Isso porque o conhecido mensageiro possui também uma versão empresarial feita sob medida para negócios!

Com a marca de 120 milhões de usuários brasileiros ativos, o WhatsApp é uma alternativa de canal de vendas que deve ser considerada por todos vendedores. 

Através da ferramenta, você pode criar rapidamente um novo meio de vender mais, estreitar relações com o público, receber pedidos e automatizar o seu atendimento!

Não tem como ficar de fora, né?

Como vender no WhatsApp

Você pode fazer gratuitamente o download  do WhatsApp Business nas lojas digitais App Store e Google Play e começar a trabalhar com o recurso com agilidade.

Mas antes, leia os dois conteúdos exclusivos que temos com todos os detalhes que você precisa saber para começar a vender pelo WhatsApp Business:

Coronavírus: Grandes empresas oferecem apoio a empreendedores

Em um período de tanta preocupação, é com imensa satisfação que trazemos neste artigo formas que se destacam como exemplos de empatia no mercado 🤗. 

O cenário atual realmente dá medo e gera insegurança. Não há como negar. Mas saiba que os empreendedores brasileiros não estão sozinhos

A cada dia ficamos sabendo de mais uma grande empresa que se dispôs a oferecer alternativas para que lojistas como você mantenham o seu negócio em atividade.

E para provar isso, reunimos algumas das oportunidades abertas para te auxiliar a continuar empreendendo: mesmo diante da crise do coronavírus.

Confira a s seguir a rede de apoio em formação e veja como obter a assistência que você precisa! 

Magazine Luiza cria plataforma para ajudar lojistas

Imagem: Reprodução Parceiro Magalu

Se você ver por aí o nome Parceiro Magalu Empresa, fique atento! Você pode estar diante de uma grande oportunidade!

Estamos falando da plataforma criada pelo Magazine Luiza para ajudar lojistas a venderem também pela internet.

Como mencionamos anteriormente, a gigante está entre os varejistas que também atuam como marketplace. 

A diferença aqui é de que o Parceiro Magazine Luiza caracteriza uma alternativa ainda mais fácil e prática para que lojistas offline consigam ingressar no e-commerce. E possam dessa forma reduzir as dificuldades financeiras diante da crise do coronavírus.

Ao ao se cadastrar como parceiro, você terá condições de anunciar produtos no site e no app do Magalu, potencializando o seu negócio. 

Lembra do que destacamos a respeito dos benefícios de contar com o fluxo de visitantes dos marketplaces? Bom, esta é sua chance de exibir os seus itens para um público formado por mais de 20 milhões de clientes!

A proposta é destinada tanto a proprietários de lojas inscritos no Simples Nacional quanto a Microempreendedores Individuais (MEIs) que não tenham se cadastrado no marketplace do Magazine Luiza antes.

 Já a iniciativa abre espaço para que seja possível gerenciar as vendas – que antes só poderiam ser feitas no ambiente físico – de forma totalmente digital.

Além de contar com toda a infraestrutura logística do Magalu, quem se registrar até o dia 31 de julho de 2020 pagará 3,99% em cada venda e terá uma taxa de antecipação de 0,99% ao mês.

Clique aqui para obter mais informações e fazer o seu cadastro direto no portal desenvolvido pelo Magazine Luiza.

Sebrae também oferece ajuda qualificada durante o coronavírus

Imagem: Reprodução Mercado Azul/Sebrae

O Sebrae é outro exemplo de apoio que você pode encontrar para alavancar o seu negócio mesmo em tempos de coronavírus.

Com o objetivo de colocar no mesmo lugar quem fornece produtos e serviços e quem quer contratar, o Sebrae criou o Mercado Azul: uma plataforma gratuita para facilitar esse encontro! 

No Mercado Azul, os fornecedores podem anunciar produtos ou serviços e ainda divulgar suas empresas sem custos

Paralelamente, a solução também torna mais prático e ágil o trabalho de quem está à procura de artigos para abastecimento do seu negócio ou de prestadores de serviço nas mais variadas áreas.

Ficou curioso? Então acesse o portal do Mercado Azul e confira como você pode se beneficiar dessa oportunidade.  

Dicas extras em tempos de coronavírus

Imagem: Reprodução E-commerce Brasil

O E-commerce Brasil – portal de referência nacional em notícias do comércio eletrônico – também separou uma lista com diversas soluções de fornecedores de e-commerce que podem ser do seu interesse: acesse aqui.

Imagem: Reprodução Blog Melhor Envio

Para quem já vende online, ou está se preparando para isso, o Blog Melhor Envio também é uma ótima fonte de informações em tempos de coronavírus. 

Na imagem acima, o destaque vai para o artigo exclusivo em que atualizamos em tempo real a situação das transportadoras parcerias integradas à nossa solução de fretes. Os detalhes podem ser vistos neste link.

Você também pode se inscrever em nossa newsletter e receber periodicamente os nossos principais artigos sobre e-commerce direto no seu e-mail. Inscreva-se e fique bem informado!

Lembre também de pensar no frete dos pedidos online

Ufa! Se você chegou até aqui é por que a leitura foi produtiva. Por isso vamos falar da última dica que temos para alavancar o seu negócio no ingresso ao e-commerce: conte com uma solução de fretes para facilitar o seu trabalho!

Diferentemente da loja física em que o cliente pode sair com o produto imediatamente, no e-commerce o frete ocupa papel central na sua operação. 

Mas isso não quer dizer que a logística precise, necessariamente, ser uma dor de cabeça.

Conheça o Melhor Envio e ganhe tempo e dinheiro ao fazer cotações de fretes com Correios e transportadoras privadas em segundos. 

Depois de escolher o serviço de entrega mais conveniente para você e seus clientes, basta gerar os seus envios em nossa plataforma integrada! 

Visite nosso site agora mesmo e conheça todas as ferramentas gratuitas da nossa tecnologia!

Posts relacionados

Comentários (1)

Parabéns pelo post, muito completo e explicativo pra quem vai ingressar nesse universo das vendas online.

Deixe um comentário