4 formas de vender na internet durante a crise da COVID-19

A aceleração da transformação digital devido ao isolamento social voluntário e fechamento de lojas físicas atraiu muitas pessoas para o Ecommerce. E, enquanto empreendedores, o primeiro pensamento que vem à cabeça é: como vender na internet durante a crise do COVID-19?

Aqui, no Ecommerce na Prática, recebemos dúvidas como essa diariamente e não podemos deixar de respondê-las. A verdade é que existem diversas maneiras de vender pela internet não só durante a crise, mas em qualquer período.

O que vai fazer você se destacar no Ecommerce é saber exatamente qual a melhor forma de vender pela internet, principalmente em meio a uma pandemia mundial.

Acompanhe, ao longo deste artigo, as 4 formas de vender pela internet na crise do COVID-19. Vamos analisar qual é a melhor opção para você começar no Ecommerce com o pé direito! 

1 – Vender pelo WhatsApp 

A primeira opção é a mais simples de todas: vender o seu produto por meio do WhatsApp

As pessoas passam boa parte do dia com o celular por perto e atentas a qualquer notificação de mensagem do WhatsApp. Ou seja: ao enviar alguma promoção ou mensagem informativa do seu produto, a tendência é que elas vejam.

Mas como vender pelo WhatsApp?

Antes de qualquer coisa, você precisa tornar esse negócio mais profissional baixando o WhatsApp Business, versão otimizada do aplicativo com ferramentas ótimas para quem quer vender na internet.

O WhatsApp Business proporciona uma melhor comunicação entre loja e cliente por conta da dinamicidade e facilidade de conversar com o cliente de forma mais humanizada, o que estreita relações. Assim, é mais fácil de finalizar vendas por meio do aplicativo. 

Além disso, você pode realizar listas de transmissão, ao invés de criar um grupo e ficar enviando mensagens que podem se tornar um incômodo para o cliente com o passar do tempo…

A lista de transmissão enviará para todos os contatos que você selecionar a mesma mensagem. A pessoa se sentirá especial por receber uma mensagem exclusiva e “personalizada”. 

Você também pode: 

  • Usar o WhatsApp como um canal de atendimento ao cliente, já que nem sempre é possível responder os clientes nas redes sociais; 
  • Criar conteúdo (vídeos, fotos, mensagens informativas) para engajar seu cliente com a sua marca;
  • Usar o Status a seu favor, assim como pode usar o stories do Instagram;
  • Realizar campanhas de vendas (mas precisam ser bem planejadas, pois do contrário elas podem afastar os seus clientes). 

2 – Vender através das redes sociais (Instagram e Facebook)

Vender por meio do Instagram e do Facebook é uma das formas mais tradicionais de comercializar no Ecommerce. 

São nessas redes sociais que, além de vender seu produto e usá-los como a vitrine da sua loja virtual, você poderá engajar a sua audiência por meio de conteúdo relevante. Veja como usar essas duas redes sociais da melhor forma:

Instagram

Trouxemos algumas dicas para você vender no Instagram. São elas: 

  • Crie um perfil comercial: com a conta comercial, você terá acesso a recursos como métricas de alcance da publicação, análise de dados e poderá criar sua própria loja;
  • Tenha uma BIO (descrição do perfil) bem objetiva: a ideia é colocar, em poucas palavras e de forma clara, o que o seu negócio faz e como você pode ajudar;
  • Profissionalize o seu perfil criando o Instagram Shopping: essa é uma das funcionalidades que o Instagram criou para facilitar a vida do empreendedor dentro da rede social. Lá, é possível cadastrar os produtos e vender diretamente pelo aplicativo;
  • Crie conteúdo relevante: não basta apenas postar fotos dos produtos, você precisa engajar sua audiência com conteúdo relacionado ao produto. Exemplo: se você tem uma loja de roupas, que tal fazer um post com as tendências da moda para os próximos meses? E não precisa ser apenas publicações, você também pode alternar e fazer stories interativos ou lives.

Facebook

Assim como o Instagram, o Facebook é um dos melhores canais para conseguir clientes e converter em vendas. Trouxemos algumas dicas para você aplicar também nessa rede social. Veja só: 

  • Conteúdo é ponto chave do Facebook: assim como no Instagram, você também terá que criar conteúdo para o Facebook se quiser envolver a audiência com a sua marca. É interessante que cada rede social tenha assuntos e temas diferenciados;
  • Faça o mapeamento do melhor horário: todas as redes sociais possuem uma hora na qual mais pessoas estão online simultaneamente. Você só precisa entrar na sua página, clicar na barra de informações na parte superior da tela e, por fim, clicar em Publicações. Ao acessar essa página, você terá acesso à quantidade de seguidores conectados por horário;
  • Impulsione as vendas: para alcançar mais pessoas, você precisa investir também nos anúncios do Facebook;
  • Ofereça descontos: é importante dar ao cliente alguns benefícios para estimular o ato de consumo. Os descontos de primeira compra podem ser esse estímulo que faltava para converter mais;
  • O Facebook também possui um recurso pensado para os empreendedores que usam a rede social para vender: o Facebook Marketplace. Vamos comentar sobre os marketplaces mais adiante…

3 – Crie a sua própria loja virtual 

É normal: a primeira coisa que vem à mente na hora em que surge a ideia de vender online é a construção da loja virtual. O problema é que fazer isso no primeiro momento pode ser prejudicial à saúde financeira do negócio, porque você precisará investir bastante dinheiro em tráfego para fazer as pessoas chegarem até a sua loja virtual.

E mesmo que sua empresa seja maior e possa se dar esse luxo, ainda é mais recomendado começar por outros canais, como o marketplace. Dizemos isso porque é por lá que você conseguirá validar sua venda online de forma muito mais barata.

4 – Venda nos principais Marketplaces 

Os marketplaces são os melhores ambientes para quem quer começar a vender online. Os sites de marketplaces consolidados (como o Mercado Livre, B2W e Amazon) já possuem um tráfego gigantesco de pessoas que acessam diariamente a plataforma com o real intuito de comprar.

Além disso, nos marketplaces, você já tem a estrutura de negócio pronta, tráfego constante e recursos complementares que te ajudam na hora da venda, como parceria com meios de pagamento e transportadoras.

Você só precisar criar uma conta e cadastrar os produtos que deseja vender. Uma vez que começa a realizar vendas periódicas (pelo menos uma por dia, durante 30 dias), já pode considerar que o seu negócio está validado no Ecommerce.

Conheça o Ecommerce na Prática

O Ecommerce na Prática é a maior escola de EAD de empreendedorismo com foco em Ecommerce do país. Desde 2015, nos dedicamos a transformar vidas e realizar sonhos por meio da educação, capacitação constante e apoio de uma equipe especializada.

Hoje, são mais de 20 mil empreendedores em nossos treinamentos e mais de um milhão de pessoas impactadas todos os dias por nossos materiais gratuitos.

Conheça o Ecommerce na Prática e fique por dentro de todos os temas relacionados ao Ecommerce e negócios digitais.

Posts relacionados

Deixe um comentário